quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Israel

Ida 30/06
volto? 12/07
without Laura.
Sem Laura.


Vou para a terra santa, eu vou!! Como? ganhei. fui atrás, consegui. nem acredito!
tem despesas que giram entorno de 300 doláres - mínimo se pensar numa viagem desse porte para israel e que serão devolvidos após a viagem (só para garantir que eu vou mesmo).

É gostoso sonhar, fazer planos.
Mais gostoso ainda é correr atrás e ficar pertinho de conseguir realiza-los.
Mesmo assim dá uma dor de barriga em pensar que tudo pode MESMO se realizar.
Dá aquela sensação de frio na barriga, de medo do desconhecido. Gente! entende? não é só uma viagenzinha, é um primeiro passo - e bem sabemos que dar o primeiro passo é o mais difícil não é mesmo?-

A única coisa que realmente esta pegando é a Laura. 1 ano e 3 meses. amamentando. Bombinha de leite vai ser minha comphania nesta viagem e a saudades vai ser a outra. Nunca imaginei deixa-la tão pequena e ainda - quase- ponho em risco toda essa viagem por conta disso. não posso, não posso.
Eu sei que ela vai sobreviver, mas eu vou?? Vou! 12 dias passam rápido, não passam?

Em compensação, se existe algum motivo para eu ir nesta viagem o motivo é ela: Laura.
Não haveria o porque eu enxergar tão longos horizontes se ela não existisse.

Aí tem aquele negócio né?

Para alguns os filhos são privações da liberdade, mais uma vez para mim, se prova que os filhos (ou a Laura) é a abertura de novas oportunidades.

Sempre para mim ela vai ser isso: um abre alas.



segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Boneca na casa de brinquedos


Muito além do peso.

Essencial para aqueles que ainda não entenderam o fato de eu não dar doce a Laurinha.
Essencial para aqueles que não querem dar doces aos filhos.
Essencial para aqueles que dão doces aos filhos.

E aqui doces, pode sem facilmente substituídos por industrializados em geral.
Exemplos são fundamentais. Dinheiro muitas vezes também. Tempo mais ainda.
Oremos ás crianças sem futuro e a ideia de que "gordura" é sinônimo de saúde.
Oremos.




domingo, 27 de janeiro de 2013

4 anos.


Foto no dia que nos conhecemos.


Faz 4 anos que você entrou na minha vida e a mudou completamente.
Faz 4 anos que te conheci.
4 anos que você já sabia que ia casar comigo e que isso era a coisa mais óbvia do mundo.
Faz 4 anos, que te convidei para dormir comigo (ui!) e que você fez disso a coisa mais inocente possível, dormir.
Faz 4 anos que muita coisa aconteceu de uma vez só e eu não estava preparada.
Faz 4 anos que nossa história começou...
4 anos que tive um amigo, um homem, um confidente, um porto seguro e um amante em uma mesma pessoa.
Há 4 anos atrás eu não sabia ainda que eu ia ser a pessoa mais feliz desse mundo por estar ao seu lado,
Obrigada meu amor, por lutar por nós e tornar toda essa vida real e possível. Mas como você disse, era óbvio que isso ia acontecer né?
Te Amo Gordo e engordure sempre mais. 

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Você fez seu dever de casa?


Só passando para dizer que...

Fui entrevistada.

0-o


Maternidade Anta Joana - copiado do meu outro blog.


Não é de hoje que a maternidade Anta Joana (e similares) fazem cagada, ops, cesáreas em números alarmantes. Não é de hoje que se sabe que cesariana é uma cirurgia que deve ser feita somente em caso necessário - não é uma escolha ( ou não deveria ser) - e que crianças vindo ao mundo de forma prematura, mortes de bebês e mães são bem acima do que em outros países, graças A...a?? adivinhem.
Além da forma que esses bebês são recebidos ao mundo - quando não querem, por datas bonitinhas - e a forma como a mãe é cortada ao meio e "acha" que é melhor que um parto normal. *Pausa

Um minuto de silêncio para aquelas que nem quiseram conhecer a partolândia.

Enfim, aí minha cisma com a Anta Joana veio no dia que vi este post:


Claro que este post foi apagado semanas depois, mas para meio entendedor o #ficaadica basta!
Queridas, porque vocês acham que a maternidade prefere a cesárea? porque ela preza a sua saúde? será mesmo?

Então vamos lá, você é um médico que trabalha digamos 12 horas no hospital: 1) você quer ficar 10 horas com um parto só e ganhar só por aqui ou 2) você quer fazer 20 partos nesse período e ganhar por 20 partos?

Você é o hospital: você prefere ter tudo sob controle e esvaziar logo as salas de cirurgia para que outras mães possam ter o bebê ou prefere que elas sejam ocupadas por 10 horas com 1 mãe só?
Você quer que o bebê nasça saudável e possa ir para casa logo ou prefere que ele seja prematuro e possa ir para UTI dando mais dinheiro a você? Você prefere que a mãe fique com o seu filho no quarto ou que você possa inventar uma desculpa de que ele nasceu "roxo" (mesmo todos os bebês nascerem roxos) e tirar ainda mais dinheiro dessa família? MMMMmmmmmmmmmmmm.
Não, mas eles são bonzinhos, só querem nosso bem. É, vai pensando.

Aí ontem, basta eles opinarem na via de nascimento do seu filho, queriam ainda que o bebê/criança que tem cabelo crespo, fizesse alisamento para ficar bonito. Certo.



Até porque, isso nem é racismo e nem faz menção de que a sociedade atual seja preconceituosa com os próprios filhos e os fenótipos deles! A questão não é o fato da criança ser afro descendente, ou ser loira, morena, ruiva com dois pescoços e 4 olhos, a questão é como uma maternidade/hospital podem insinuar que a beleza seja fundamental numa idade tão tenra. Minha filha é careca e é Linda de todas as formas possíveis e inconcebíveis, mas não, vou fazer um implante nela agora para se adequar ao padrão doentio de beleza da nossa sociedade? Acho isso um crime, uma barbaridade sem tamanho, submeter a criança a qualquer tipo de tratamento de beleza ou a qualquer preocupação que não seja brincar e brincar. 

Mas, não. A maternidade não para por aí não.

Ontem elas proibiram a entrada de doulas junto com o pai.
Porque será né?

Antes: o que são doulas? para que servem? como ajudam? - mega resumo.

As doulas são mulheres (capacitadas) que ajudam as necessidades das mães no trabalho de parto, oferecendo apoio afetivo e emocional, tranquilizando as mães e as deixando segura - inclusive em um ambiente hospitalar que dá medo- 

E como elas ajudam?

As pesquisas têm mostrado que a atuação da doula no parto pode:
  • diminuir em 50% as taxas de cesárea
  • diminuir em 20% a duração do trabalho de parto
  • diminuir em 60% os pedidos de anestesia
  • diminuir em 40% o uso da oxitocina
  • diminuir em 40% o uso de forceps.

Aumentam o número de infecção? Não. Elas não realizam qualquer procedimento médico. O que aumenta o número de infecção é a cirurgia cesariana (e me recuso a chamar isso de parto).

Não, mas a maternidade não ignora os números, eles não são bobos, são é inteligentes, porque quanto mais taxas de parto normal no hospital... tanãn, o que acontece?? Menos dinheiro!
 óóóóóóóóó. Mais fácil enganar as mães no trabalho de parto com X, Y e N desculpas de que é necessário uma cesárea. 

safadinhos...



Aí meu repúdio a maternidade vai crescendo, cada dia mais e mais.




































Se quer saber mais:

doulas:

http://www.despertardoparto.com.br/doula---o-que-eacute.html
http://www.doulas.com.br/oque.php

Proibição de doulas na maternidade Anta Joana:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1220335-com-proibicao-a-doula-mae-cogita-dispensar-pai-na-hora-do-parto.shtml
mamiferas.com/blog

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Esse negócio de proteção ao meio ambiente não é comigo.

Acho triste, mas ao mesmo tempo irônico as pessoas ainda não se darem conta de que o consumismo exacerbado, a montanha de lixo e a escassez dos recursos nada tem haver com elas e são apenas modinha ou outras desculpas semelhantes.
Mais ainda, dizem que esse negócio de "sustentabilidade" é mania de fulaninha, é coisa de Cicrana, mas não, não tem nada haver com elas. O lixo que faço em casa, simplesmente depois que coloco na rua desaparece e fim, "eu nunca serei prejudicada com isso."

Tento não entrar em discussão quando riem (mesmo que disfarçadamente) quando solto algum argumento protetor ao planeta (e a Nós) sobre a reutilização de materias ou do porque o uso fralda de pano, mal falo do quanto isso me ajuda financeiramente também (porque faz com que eu consume menos, jogue menos lixo), porque dá a sensação de pão dura e basta eu ser judia para estar carregada com esse preceito em cima de de mim. ("ah, ela não quer nem gastar com fralda...muito pão dura, até com a filha").

Ontem estava vindo no trem e vi uma mãe com 3 filhos, ela comprou doces e salgados do comércio ilegal do trem (até aí, nada contra ou a  favor) abriu os pacotes e PUM! jogou para fora do trem. Se ela tivesse sozinha, nem ligaria... não tento mudar opiniões já construídas, mas e as crianças gente? alguém pensa nelas e no exemplo que estamos dando?

Pouco me importa se você acredita que o escassez dos recursos é só um golpe do governo (sim, já ouvi essa), mas custa alguma coisa você passar bons exemplos aos seus filhos? vai fazer bem ao seu bolso, se não pensa em um motivo maior. Não, não estou falando para usar fralda de pano nas suas crianças - mesmo que isso seria bom- mas exemplos que são sinais de educação também valem, tipo jogar lixo no lixo (tão básico), não ficar comprando quinquilharias a toa, não acreditar que o consumo, trague  de alguma forma felicidade (N x M pesquisas provam que não, não trazem) e pior, fazer com que os filhos caem no mesmo vício, e não, não dar o sorrisinho torto e esnobe daquela "mulher" que você considera uma ambientalista de merd@, porque você passa a mesma ideia aos seus filhos e no futuro, quando você talvez não estiver mais aqui, quem vai sofrer são eles ou muito antes, até mesmo no presente, o seu bolso sofre (visão egoísta individual). Porque esta tudo interligado. Economia, nada mais é que o estudo dos recursos escassos (e isso é a definição ja  a algumas centenas de anos), porque como a palavra diz, faz muito tempo que sabemos que os recursos não são ilimitados, muita coisa já acabou e quanto mais próximo de acabar, mais alto fica os preços e aposto que se pensar um poquinho, vai entender o porquê.

E deixo esse vídeo para se refletir um pouco:


Neste post você não ouviu:
   - que os ambientalistas tem razão.
   - que você deve se tornar um ambientalista.
   - que eu tenho razão.
   - que eu odeio quem não usa fralda de pano.
   - que eu dei uma indireta a você.

Neste Post você ouviu que:
   - que devemos ser mais educados com as opiniões alheias.
   - que não devemos estabelecer julgamentos pré concebidos, com base em opiniões individuais.
   - que devemos passar bons exemplos aos nossos filhos.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Andando com apoio

E não, quem dera se ela só "engatinhasse" mas ficasse na altura do chão. Não, a menina escala mesas (baixas) e anda com apoio e rápido, passa da mesa, para a cadeira, para o sofá e vai levando tudo que tiver em cima para o chão e para a boca. Em questão de minuto ela pode transformar uma sala arrumada, em um desastre aéreo, ou melhor, desastra lauréo. Então, mais um vídeo que talvez vocês só contemplem aqui em casa:

video

Engatinhando

Eu falo para o povo que minha filha não para, que ela vai do quarto a sala, que mexe em tudo em segundos e que é um furacão. Chega na casa dos outros ela é imóvel, fica sentadona lá e mal se mexe e sempre soltam a pergunta: mas ela engatinha? ou quando engatinha dois passinhos, soltam "olha, ela engatinha".
Queridos, vocês não sabem o QUANTO ela já é fera em engatinhar, em andar com apoio, subir nas coisas e destruir tudo que encontra pela frente. Então, eu fiz um vídeo para vocês terem ideia da velocidade da criança engatinhando e se você ver ela lá paradona, atenção! é fingimento puro.


video

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Click sustentabilidade - fraldas noturnas

A pouco tempo falei que precisava de fraldinhas noturnas para a Laura de presente, pois é!
E você pode fazer isso sem gastar nada!! Me ajudando a dar um click nesse link e outro no CLICK dentro deste link para eu poder atingir 250 clicks e ganhar a fraldinha! =)
 É bem fácil e eu ficaria muito grata de ter essa ajuda - não é sorteio, é ganhar mesmo!-

cliquem aqui!

http://www.clicksustentabilidade.com.br/abertouser.asp?idprodjt=110&idpartijt=1835

Obrigada!!

=)

PS: poderiam voltar amanhã e clicar de novo? ficaria muito grata!


Laurinha agradece!



domingo, 20 de janeiro de 2013

Fotos de hoje!

Fim de semana em casa - finalmente- descansar é bom, mas brincar é ainda melhor. 


deixa eu tirar uma foto minha para pôr no facebook.

    'Olha pai, acho que é aqui que clica no botão para tirar a foto"
   Lá vai outra para o face

Comendo o cachorro que foi da cachorra =S
                                                                (devidamente lavado- claro!)
Sorrindo para a câmera - =)
Tudo porque ela é linda demais, razão do meu viver.

Chegando o dia que vamos fazer 1 ano de "ser" pais

Estou ficando doida.
doida não. Maluca.

   A idéia barata - literalmente- de fazer uma festa de recicláveis e reutilizáveis sem sair com cara de lixo tá dando certo, mas tá dando MUITO trabalho. Inclusive de achar "lixo" suficiente para tudo. Mas claro, nem tudo  será  feito de "lixo" ou melhor, pouca coisa. A ideia central aqui é uma festa que não tenha disperdi-cios (saca? sem prato plástico, garfos, talheres plásticos, bexiga e essas coisas comuns que vão sacos e sacos de lixo e na real, tem substitutos e se for jogar fora alguma coisa né? que já tenham tido outras serventias anteriormente).
    No fim o preço da festa não vai ser tão barato assim, muito mais do que eu pretendia gastar (vide fotógrafo, roupa feita na cabeça e mandada para costureira, aluguel de mesas, talheres, comida e lá vai pedrada)... mas em compensação, além do trabalho duro, estou me divertindo abeça com a ideias que surgem e os teste para faze-las. Primeira festa que vou fazer "sem interferências" consumistas, digamos assim, e não é todo mundo que esta feliz com isso. Mas eu estou e muito. E não, não vou poder convidar todo mundo que eu gostaria/poderia/desejaria. No máximo 50 pessoas e tenho que ser certeira, porque certamente a pessoa que não quiser ir, vai estar tirando a oportunidade de outro ir... e como acertar em cheio? não sei. RSVP (que na real, nunca vi dar certo, mas não vejo outra alternativa), só ganha mapinha de onde é, quer disser que vai e tenho dito - e que seja grosseiro.
     Nas próximas semanas estarei recrutando ajuda e claro, qualquer opinião e ideia é muito bem vinda, se tiver haver com o tema claro - nada de princesas por favor- e se não tiver que ficar comprando porcalhadas pela 25 de março, aliás, se tiver que comprar, compraremos!(...) mas vamos deixar isso para última semana se for extremamente necessário e extraordinário!

      De presente, para quem quiser dar alguma coisa - aí a indireta - roupas usadas, brinquedos usados e afins , não só serão de ótima serventia para mim, como serão super apreciados e combinarão perfeitamente com o propósito da festa. (e se tiver manchado, juro que nem vou perceber e nem ela). E falando em indiretas e presentes, Laura esta super em falta com fraldas de pano noturnas, tsc, tsc...E sim, nós vamos usar até o desfralde, depois de 1 ano ninguém precisa ficar preocupado que eu "não vou conseguir lavar" ou "que dá trabalho".
       E quem gosta de samba, fique a vontade para ajudar a construir o enredo. Afinal, o sambinha da laura tá quase chegando e a feijuca será deliciosa!










quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Sensível demais...

Frases soltas e afins:


                                             Ui!
 Não curto a palavra "fiel", prefiro "verdadeiro"; logo que fidelidade me remete a cachorro, a prisão, a segredo (talvez só comigo, sei lá). E meu marido não é bom, é perfeito, ótimo.
 E tenho dito!
 E morro de vontade de senti-la de novo! <3
 E faz tudo sozinho, quando estou a 27km de distância. Paizão é pouco.
 Conhecemos o amor mais puro, quando encaixamos na outra metade da laranja e dela saí uma gominha linda <3. Amor puro tri-dimensional.


Depende do ponto de vista. Mas eu me sinto melhor com certeza! 
                     Conquista quase Todos os dias.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Aniversário do papai.

#25 anos.
#Primeiro aniversário como Papai fora da barriga.
#sem internet
#sem TV.
#  fotos.




                                         
                                                           
                                               





Existem mães babonas, irmãs babonas, vós babonas. Eu sou uma esposa babona:

Morão, parabéns pelo seu dia e obrigada por cada dia conseguir me fazer um pouquinho mais apaixonada e feliz. Espero que tenha gostado do seu presentinho exagerado - você merece.
Te amo. - mas é claro! 

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Para refletir: Sexismo.


Esta rolando muitas matérias nos blogs sobre os brinquedo s/ comportamentos sexistas (Leia aqui lego sempre foi para meninas e Para uma sociedade melhor, meninos deveriam brincar de bonecas ).

   E é evidente que criar meninas brincando de carrinho, jogando bola e vestindo azul é muito mais aceitável em nossa sociedade do que meninos usar vestidos e brincar de boneca. ou não é?

  O intolerável na minha visão é não deixar a criança ser livre e optar pelo brinquedo ou roupa em qualquer idade - o problema é que  a intolerância, muitas vezes vem das próprias crianças (que tem obviamente a visão do pai/mãe = brincar de boneca é coisa de menina).

   Não podemos falar em feminismos aos homens também? A terem o direito de ser respeitados em suas escolhas?
   Ou o menino que brincar de boneca não estaria assim como a mulher "treinando" para ser carinhoso com os filhos?
    O que me assusta é a relação que as pessoas tem de brincar de boneca com virar gay. Oi? Mas, (eu ok?) não vejo o pensamento oposto, brincar de carrinho virar sapatão. Mas que existe, existe.  E de qualquer forma, baboseira nata em ambas as situação. Brincar nada tem haver com opção sexual.

    Então eu particularmente não sofro (ainda) com as minhas escolhas de brinquedos com a Laura - e até mesmo roupas- confesso que eu prefiro sair com ela em um vestido do que com uma calça azul. Mas ela tem muito mais calças azuis que vestidos por exemplo. Além dela ter mais brinquedos de carrinhos, legos e parecidos - em suma maioria que eram dos pais dela (nós)

   E se eu tivesse um menino, optaria em colocar um vestido nele?
    Não. não colocaria porque por ser meu filho, não quero que ele sofra nessa sociedade doentia com as escolhas que Eu fizer para ele. Mas no momento em que ele ter o poder de escolha e quiser de repente usar um vestido (com 2, 3 anos) eu apoiaria, talvez não incentivasse, mas jamais sairia da minha boca "isso é coisa de meninA".
Mas e brinquedos cor de rosa? bonecas? casinha? Opa! esses sim, ele teria todas essas opções de brinquedos sim eu incentivaria a brincadeiras. Precisamos de Homens mais sensíveis no mundo (e deixo claro que sensibilidade nada se relaciona com homossexualidade, o que na minha concepção particular, pouco me importo com a escolha que eles tomarão na vida sexual deles), mais pais carinhosos, mais homens que sabem cozinhar e que apreciem ou aprendam serviços domésticos seria melhor ao mundo como um todo. Apesar de algumas coisas eu ainda acho que não são coisas de criança - e quando digo criança, é até uns 14, 16 anos- como passar roupa de verdade, arrumar a casa ou fazer comida por obrigação.


Agora o que fico um pouco atrás um pouco é  com isso: escola para princesas (só clicar em cima).

Na minha concepção moderna de princesas, elas aprendem a dirigir, a tirar de arco e flecha (vide a princesa do filme "Valente"), sabem sobre economia e sociedade e política. Aprendem Direito e porque não os trabalhos domésticos também?, assim como cozinhar. E alguém acredita que os príncipes não devem ter as mesmas responsabilidades e habilidades.
AH! um príncipe que cozinha e arruma a cama. Alguém dúvida que seria um ótimo príncipe?

A mulher passa a adolescência pensando em procurar o "príncipe encantado" e o homem a ganhar dinheiro e brigar com um samurai. Ela não encontra o príncipe e caí em depressão, ele não vira um samurai, mas busca isso nas brigas de trânsito.

 Tá na hora de mudar! ou me engano?

                       Foto de uma escola sueca que incentivam meninos a brincar de boneca.



Outback

Fim de Semana Agitado.
Desde quinta a gente não conseguiu chegar em casa antes da meia noite.
Sexta, a gente foi visitar um amigo do Vini em São Bernardo. Perdemos o ônibus da meia noite - pois é - pedimos carona e chegamos em casa beirando as 3 da manhã. No dia seguinte recebemos a visita de 4 pessoas - Re, Ana, Gê e Rafael - papeamos até umas 9 da noite.
Domingo, para comemorar a semana do aniversariante especial fomos no Outback.
  Pu*a restaurante delicioso!


Laurinha se esbaldou também com suco de morango, pão, costelinha e batata.



sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Rua sem iluminação.


Deixo minha filha na creche as 17 horas. morro. aliás, quase, se não estivesse aqui. Vou para a aula, pego trem, não, 2 trens. O segundo, lotado de ficar mais esmagado que lata de sardinha. Vou para a faculdade, estudo, me dedico a aula, mas não sem morrer a todo segundo de saudades da minha pequena e imagina-la o que ela esta fazendo. (sim, sou do tipo de mãe que não soltaria a filha por nada). 20 horas meu marido pega ela e vai para casa, 23 horas saio da aula, pego novamente os 2 trens e saindo do último quase meia noite - na estação Utinga- me deparo com isso, todos os dias. Rua sem iluminação.
Banal? não é! Graças a iluminação os índices de criminalidade caíram drasticamente no séc XX e atualmente, são ruas assim que detém o maior número de assaltos, roubos e estupros (claro, não dá para ver nada!), os carros que passam ao lado não estão interessados em ver quem "anda" na rua. Não são dá conta deles. Vi uma vez carro de polícia (uma vez! e passaram lá embaixo da ponte).
Preciso dizer mais? essa ponte é do lado da favela de Utinga, aonde nesse horário a única coisa aberta é um bar (associação bar a bêbados, ok?), quer mais? quando eu estava grávida de 7 meses, foi nessa favela que uns bebuns daquele bar atacaram pedras (sim, pedras) em nós! (é! Em grávida.)
Eu ando por volta de 20, 25 minutos até minha casa dessa estação, infelizmente não tenho dinheiro para pegar o ônibus todos os dias (o que me custaria R$3,30 (atenção ao preço abusivo!) x 5 por semana, sem chance), a noite eu corro e chego em 15, 20 minutos, me deparando com pichadores, tráfico e rush no caminho, mulher, 24 anos, sozinha? não dá para vacilar.
Quando chego em casa, sinto um alívio imenso. Cheguei. Entro em casa e encontro Marido me esperando no sofá e Laura dormindo no berço. Entro em silêncio no quarto, pego ela no colo, dou um mamar super romântico, examinando todos os detalhes do seu rostinho, deixo-a no berço e novamente, enfim, posso me sentir segura e feliz por estar em casa... Até a próxima noite.

PS: Essa reclamação e as demais escritas neste post, já foram encaminhadas para os órgãos responsáveis. 


Festa de 1 ano.


Nossas fotos saíram tremidas.

Mas ontem nos divertimos muito na festa do Miguel Akira, 1 aninho! <3
Laura que o diga, montou no cavalinho, desceu escorregador, não curtiu ainda as bolinhas, mas adorou o jacaré e a cabine das princesas.
 Adorou o parabéns e a barulheira, as bexigas e o macarrão!

é, cadê meu bebê? já virando uma moiçôla, com personalidade extra sorridente.

Daqui a pouco é ela com 1 ano! Aí.

Vou brincar, antes que ela não queira mais! -)




quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Coladinha com a mamãe.

Semana corrida.

Aula a noite, arrumar a casa a tarde e estudar. Todo o resto do tempo chicletinho com o bebê mais gostoso do mundo, porque fico 7 horas longe dela e quando chego ela já está dormindo :(. Saudades define muito o que ando sentindo esses dias. (e agora se ela acorda de madrugada, acordo alegre só para namora-la um pouquinho).
 Momentos em que ainda queria um cordão umbilical para nos grudar.

Vamos que vamos que o dia ainda tem muito que render.




segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Fim de semana e o maior susto da minha vida.

Esse fim de semana passamos na casa dos benzinhos. (opa!)
Foi muito gostoso, aconchegante e porque não? aliviante ver a D. Paula bem novamente.
*feijoada! (mmmmmmmmm...)
* lanchinho (mmmmmmmmmm)
* Laura fazendo gracinha
*D. Paula sorrindo.
*sofá aconchegante.
*boa companhia.
*benzinhos claro.
* Laura tentando abraçar a D.Paula (fechando com chave de ouro).

PS: D.Paula é a bisa postiça de 97 anos da Laurinha.




Depois fomos a casa dos vovôs paternos.

O maior susto da minha vida: 

Você coloca o neném para dormir, ele dorme, você vai tomar banho e no meio do banho, o marido repara que o bebê chora desesperadamente, você se enxuga e saí.
Entra no quarto do bebê e vê uma cena assustadora:

  Um bebê dependurado no berço, com metade do corpo para fora (metade digo do umbigo a cabeça) e as pernas para dentro, altura? 1 metro e meio. ( o berço bate um pouco abaixo do meu ombro). Reação? Eu berro, com toda a força possível e imagino de cara o bebê estendido no chão todo quebrado.
   Pego a Laura e começo a chorar tão desesperadamente quanto ela. Foi um descuido tão banal e tão perigoso não ter visto que a altura do berço já não correspondia mais com a idade dela. tão perigoso...
   Marido saí como um raio do chuveiro e desmonta o berço para diminuir o estrado e não ter mais esse risco, enquanto isso passa na minha cabeça todos os filmes de horror possíveis para os finais trágicos que poderiam ter acontecido: eu ter demorado mais 1 segundo para me enxugar, ninguém ouvir o choro enfim... nesses pensamentos coloco ela para dormir comigo, bem agarrada e passo a noite acordando só para vê-la dormir serena pensando "que bom que você esta bem e esta aqui comigo".

  Sabe a história basta 1 segundo? pois é, basta 1 segundo.

Em quesito bebê, todo cuidado é pouco e o perigo pode estar no lugar que você acha mais seguro...

Salto de Desenvolvimento, outras crises e bláblá sobre o assunto na visão da mãe;

E o que eu faria sem essas informações.

Não é de hoje que eu converso com pais que tem filhos acima de 10 anos e nunca ouviu falar nas "crises" dos bebês. Provavelmente porque quando a crise (de dias) acaba, a gente esquece mesmo. Mas tem consequências que se não souber levar e se não soubesse que era crise, iria ficar para o resto da vida do bebê.

Crise de 1 Mês: 

A primeira crise é a mais assustadora, acredito, porque você ainda não esta preparada para ela e não sabe ainda se a história é "lenda" ou não. A criança só dorme no colo, se tirar ela chora um choro agudo e estridente. Como agir nessa situação? dando colo a criança que em 3, 4 dias passa - Pô, mais eu tenho que lavar louça, comer, ir no banheiro! como fico? - aí que entra a serventia do sling! coloca no sling e faz suas coisas, depois desse período ele para de chorar e da melhor forma possível, com amor <3.
Se eu não soubesse que era crise? Eu, provavelmente sem conhecimento algum (ou melhor, o popular, que as vezes acho ainda pior) deixaria ela chorando no berço sozinha, por achar que era manha. O que poderia acarretar? estress (da mãe e do filho) desnecessário, falta de confiança e segurança da parte do filho e alongamento da crise.

Crise dos 3 meses:

É quando a criança descobre que a mãe e ele são duas pessoas diferentes - imagina o susto? - Chora em demasia e parece recusar o peito todo o tempo, dura quase 1 semana. O que se fazer? ter paciência, respirar mil vezes e dar colo e colo e oferecer o peito (só o peito e nada mais) sempre que possível, mas não se desesperar se ele estiver amamentando pouquíssimo, porque é normal e o choro, acredite, não é de fome. Depois de alguns dias a crise passa e as novas habilidades florescem. Se eu não soubesse que era crise o que eu poderia pensar? Que ela chora porque tem fome, que meu leite é insuficiente, levaria no pediatra - pelo desespero- e possivelmente (mesmo ele tendo o conhecimento das crises) daria um complemento desnecessário (Nan) e ela dormiria de exaustão, não atravessaria a crise com satisfação (porque estaria entupida de Nan) e muito provavelmente desmamaria cedo e difícilmente conseguiria tirar o complemento do bebê.

Crise dos 4 meses e meio e outras.

A partir daqui você já entende bem de crises e já entende que o negócio é ter paciência e repetir o mantra "vai passar" e lembrar que o término da crise coincide bem com o adquirição de uma nova habilidade (sentar, falar, andar), não é vergonha ou incapacidade  pedir para que alguém que fique com o bebê durante alguns minutos para entrar no chuveiro e tomar um banho por exemplo - para renovar as energias- e não é pecado ficar cansado depois das noites sem dormir durante o período das crises (inclusive o bebê acaba dormindo mais depois delas, para recuperar o tempo perdido e o recomendável é que a mãe acompanhe o bebê nesses cochilos se possível). Algumas crises modificam alguns comportamentos da criança, a Laura por exemplo que dormia a noite toda até os 8 meses, com a crise (dos 8) passou a acordar toda noite 1 x mesmo após a crise. Mas não é aquela coisa doida que ela tinha durante a crise que chegou a acordar 15x durante a noite durante 1 ou 2 semanas seguidas (Essa crise em particular, dos 8, dura 1 mês e meio e é bem trash, mas como todas as outras, passa.).




















É claro, ainda não vivi todas as crises, mas posso adiantar que informação as vezes é tudo na vida de uma mãe e saber aonde procura-las - porque o que tem de informação errônea rodando na internet e na boca dos "mais" experientes não é brincadeira.



sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Vídeo III: Ondinhas

Quando eu comecei a filmar, ela estava rindo, aí veio uma onda um pouco agressiva e deixou ela meio assustada - mas logo ela começou a se divertir de novo-
video

Lembrando que ela estava com supervisão o tempo inteiro e que o dia estava bem quente, mas não passava das 9 da manhã.


Vídeo II: e gargalhada quem gosta?

video

Vídeo I - sorrir para a câmera

video

Fiz muitos vídeos nessas férias e vou tentar postar a maioria. Esse é mostrando o que a Laura aprendeu a fazer: sorrir para a câmera. Qualquer câmera, qualquer hora (inclusive quando ela esta no meio de um choro) ela vê a câmera e pam! dá um sorriso. Aonde aprendeu? como ? e porque? eu não sei. Natureza fotogênica nata. Sair com cara feia? jamais!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Meu Final de Ano.

As duas últimas semanas do ano, Laura passou com os Avós em Ubatuba. Com o calorzão que fez, suas atividades basicamente se resumiam a água, piscina grande, piscina pequena, banho de ducha, brinquedos com água e praia.
Para ela foi mil maravilhas, para mim já deu um pouco de faísca. Aquele negócio de divergências de opiniões de o que dar de comer, como ensinar as coisas e horas de dormir, aquilo de tenta manter a criança acordada durante o dia para dormir "melhor" a noite - o que obviamente é lenda- criança que dorme, dorme mais e melhor. (fora que ela fica super chata quando esta com sono). Mas em compensação descansei bastante, comi bem e aproveitei o calorzão igualmente. Mas não, não aguentaria mais nem um dia. Saudades de casa apertava.

Uma coisa que se perpetua ainda hoje, é que Laura aprendeu a comer - básico não? - antes ela dava um trabalhão  imenso e agora não, come bem - muito bem- janta e almoça e bate um pratinho. Mas demora séculos para mastigar ainda sem dentes. Sim. Nada de dentes por aqui.

Nos fins de semana papai desceu para ficar com a gente, Natal e Ano novo. No Natal não fizemos nada, mas levamos Laurinha para tomar seu primeiro banho de mar - ela adorou as ondas e gritava de alegria quando vinha uma onda maiorzinha - (Fiz Vídeo!), comeu areia e brincou muito muito de baldinho, destruía todos os castelos que a mamãe fazia.

No Ano Novo Vovó fez comida muito gostosa (pernil, lentilha, arroz e mais algumas coisas), vimos os fogos de casa pensando que a Laura ia ter medo - Há! - Ela adorou os fogos! Passamos com os Tios Kuka e Milena, o primo Danilo, os vovôs e os papais. No dia seguinte já voltamos para São Paulo, 8 horas de Viagem e Laura chorou uns 30 minutos, comportando-se em excelência como sempre!

Agora vamos a algumas fotos, como ansiado por todos!

Brincando na minha piscininha.

 Brincando na piscinona com o papai!
 No Natal com a Tia Milena e o Tio Kuka.
 Na praia, bagunçando a areia!
 Com o Papai esperando a onda chegar! Vem ondinha vem!
 Eba!! Eu e Papai!
 Eu e mamãe!
 Brincando na piscina pequena com a piscina grande!
 Eu no Sling com a mamãe, Sling atrás, de cavalinho! A-d-o-r-o!
 Aprendendo a comer com o Tio Kuka!
 Na piscina com o papai, tão gostoso!
 Ano Novo em pé na mesinha sozinha..
 Eu e mamãe no Ano Novo (hahahahaha)

Feliz Ano 2013 a Todos!