sábado, 29 de setembro de 2012

Baby Blue e sua cantoria...

video

PS: infelizmente não sei virar o vídeo... :/

Fotos, sem palavras...






















quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Frio

E julho finalmente chegou... em setembro.

Neném se agasalhou bastante para ir dormir... 
e o pato junto. 


Hoje acordou, as 10:30 da matina. neste frio, quem quer sair da cama?? 

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Procura-se uma paciência.

    Hoje, além do frio absurdo e do nada; teve prova, acordar cedo, casa bagunçada e Laura chororó.
Tem uma pilha de roupa para passar e uma sala com brinquedos para todos os lados, roupas que não secam e aí vai se acumulando, fruto de mais de 1 semana e meia sem ficar o dia em casa (porque não faço nada...)
    Nesta bagunça toda perdi a paciência, tão presente nos meus dias desde que a Laura veio ao mundo e junto claro, achei o tal mau humor (quem não procura acha... pois é). O jejum foi por água abaixo as 11 da matina porque simplesmente esqueci o yom kippur. Vini continua na empreitada, quase terminando.

Laura "bola" voltando da creche, com fome e frio e absorvendo o mau humor da mamãe.


PS: "olho gordo" existe. 
   

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Laura nasceu de um sonho

Não sou dada a poesia ( ou a publica-la), mas as vezes eu olho para a Laura e não consigo me aguentar em alegria por te-lá ao meu lado, parece ainda que estou sonhando. Aí resolvi publicar esta poesia, nada demais, mas para tentar dimensionar um pouco "de onde veio a Laura".

Laura nasceu de um sonho;

Mamãe e papai sonharam...
mas sonharam tanto tanto tanto
que este sonho virou uma bola

Esta bola cresceu devagarzinho 
durante 9 meses...
até que um dia ela explodiu!
e dessa explosão aconteceu um pequeno milagre 
e o sonho, enfim, virou realidade.

Aline Shirazi Conte, tirado do "15/03/2012- O dia em que o sonho tornou-se real". 

Visita carioca II

Segundona primo veio do Rio para visitar/fazer curso em São Paulo. Pegamos carrinho (porque no sling as costas já não aguentam) e fomos embora fazer viagem para SP para ver o primo Saulo, na foto esperando o de trem (grudada no pato/pelicano)...



 Tentamos vários programas e no fim, o único que serviu foi o boteco da 25 de março! (tadinha!) :P
Mas valeu! esperamos o horário do Rush e voltamos para casa já a noite.


Logo mais veremos os dois novamente. <3

Fim de Semana - Sexta e Sábado.

Sábado


      Fim de semana ficamos só nós 3 (muito bom!), curtimos a casa, passeamos pela cidade (de busão) e Laurinha ficou grudada no pato/pelicano que a Benzinha deu de presente, não desgrudava por nada e aí daquele que tentasse retirar dela, levava um belo grito na orelha!
      Passou muito depressa...

Sexta.

Sexta foi dia de pediatra, liberou todas as frutas e legumes e daqui á uns 20 dias, libera a papinha salgada.

De peso ela não ganhou quase nada, de altura foram 5 cm a mais em 1 mês. 7 kilos e 66cm. Gordinha crescendo.

Depois da consulta ficamos na banca do vovô... Laurinha brincou na caixa com a titia Giulia:

                 
 Linda da mamãe

 Ajudando o vovô na banca... a fazer bagunça!! =D



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Video Laura rolando *-*

video

Fiz vários mini vídeos da Laura rodando, agora ela o faz com desenvoltura e facilidade. =D Esse foi o maiorzinho, que consegui fazer antes dela "já esta fazendo". Divirtam-se com mais esse truque pós doença que ela aprendeu!

Rede de alimentação.


Para mães preguiçosas como eu, é só colocar a fruta dentro que o neném faz o resto. Sem perigo de sair semente... só saí o "suco" da fruta. Vale a pena para quem tem bebezinhos dessa idade.
Ah, dá trabalho para lavar, Mas... segurança nota mil. 



Maternidade polêmica

Tema I: Não deixar chorar:

   Outro dia estava conversando com o meu sogro no carro, sobre a reportagem da revista Veja (até fiz um post sobre isso), dizendo que eu era contra a criança chorar. Já tinha até esquecido o assunto, quando novamente me deparei  em um grupo de maternagem sobre isto, o conceito do "não deixar chorar".
     Parece que o "não deixar chorar" é fazer todas as vontades das crianças. Não!
     Primeiro temos que ir as diferenças:

 1) nível de comunicação:

      Não adianta explicar com mil palavras á uma criança de meses o que há de errado em seu comportamento, neste caso, a solução é dar carinho, suporte, apoio e isso se faz com contato físico. Quando fica um pouco maior, você pode tentar ser repetitivo. Retirar o objeto (inapropriado) da mão da criança por exemplo, com uma simples explicação "este é da mamãe ou este é do papai, você tem o seu e oferecer o outro objeto". - É bom lembrar que negar algo a criança é importante ao desenvolvimento dela, mas a palavra "não" também remete a "fazer"- principalmente menores de 3 anos que não tem o cortéx ainda desenvolvido que possa remeter a palavra não como negação - como na frase: não pense em um elefante! responda: no que você pensou? é bom dar alternativas e opções. "este controle é da mamãe. Você pode brincar com seus brinquedos, você prefere o ursinho ou o dado?".

2) Atitudes na hora!

       Aí seu filho(a) faz aquele berreiro no meio do shopping lotado para você comprar um brinquedo X, normal para uma criança entre 1.8 e 3 anos de vida. O instinto é você sair de lá correndo com a criança no colo e o rosto vermelho de vergonha. Mas, o ideal é ignorar os maus comportamentos... para não dar chance da criança pedir "atenção" por causa disso. E nunca comprar o brinquedo em questão e aguentar a choradeira toda, fingindo procurar a mãe desnaturada da criança berrenta. (Apesar que Euzinha acho um cúmulo levar criança ao shopping para passeio - mesmo eu fazendo parte deste cúmulo- ou incentivar de alguma forma o consumismo desde cedo).

Então que choros atender?

        Se machucou? não tem o que fazer, vai chorar. E já (grandinho) que desobedecer? vai chorar. Mas, tem sono, tem fome, quer carinho, colo, apenas desabafar  ou tudo que peça apenas amor dos pais, atenda! de imediato. Esse papo de deixar chorando no escuro sozinho do quarto é que me deixa P da vida. Ninguém sabe os monstros que se escondem logo ali ... debaixo da cama.

               


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Informações relâmpagos

 - Culinária do bebê aqui alcançando frutas diversas: já come bananinha, maça e laranja lima, bebe água (pouquinho) e ainda conta com um exclusivo e ilimitado tetê da mamãe.

 - Agora deu de rolar igual bolinha, não para quieta! E como se não fosse suficiente, ontem aprendeu a se rastejar igual cobra, lentamente... ainda a alcanço, mas parece que é por pouco tempo.

 - Hoje faltamos na creche e na faculdade, fazer o que? mamãe quis curtir o bebezão e tirar o atraso do dia anterior. Ainda tenho muito por fazer... Vamos que vamos.

PS; A noite voltamos com fotos e notícias. =D


terça-feira, 18 de setembro de 2012

O papel do Homem; pai

Quando dava aula, um aluno uma vez me perguntou se eu trabalhava. A minha resposta foi clara:
     - não, estou aqui por diversão.

----------------
  Meu sogro trabalha em uma banca á 23 anos. De vez e quando perguntam se ele trabalha...

----------------
   A tia da minha prima vive dizendo a ela para sair do computador e ir trabalhar... nem preciso dizer o que ela faz "enfurnada" no computador o dia todo, preciso?

----------------

   Vini nunca aprendeu a cozinhar, a arrumar a casa ou essas coisas de "menina". Eu também não. Em casa tudo ficava para os mais velhos (meus irmãos) e na casa dele para as meninas (as mais novas). = E já ouvi dizer que os judeus é que são machistas.

---------------
  A comida dos meus dois irmãos são sensacionais, a minha é chinfrim. A do meu marido caminha para ser sensacional.

---------------

       Saí de casa e me virei na vida, aprendi a cozinhar a arrumar a casa e a ganhar meu dindim. Marido saiu de casa e se virou na vida, aprendeu a cozinhar, a arrumar a casa e a ganhar dindim, além de cuidar da família.
       Se cozinhássemos quando criança ou arrumássemos a casa não seríamos mais preparados, nem mais responsáveis. Preferi a vida na infância sem trabalho, Vini idem. Nem preciso dizer as mil e umas responsabilidades que a Laura (meninA) vai ter fora do quarto dela, preciso? ou de um futuro irmão?

----------------------------------------------------



    Ninguém sabe o que faço da vida ou se vivo as custas do marido.
Também acham que passo o dia na internet sem fazer nada. Nada. Afinal, cuidar de um bebê, fazer faculdade, cuidar da casa e Trabalhar (pois é...) quer dizer = N.A.D.A.
      O que eu ganho corresponde de 1/3(min) a metade da renda . Mesmo assim, não faço nada (afinal, se eu ficar no computador, ou trabalhando com comércio ou dando aula é porque estou de "folga").
       Tenho rotina, daquela planejada em planilha e a quebra dela, como passar 3 horas fora sem ter planejado antes ou dormir a tarde por exemplo... me atrasa tudo e fico perdida sem rumo.
     
       Este é o meu papel, o da mulher certo? e o que o homem pai aqui de casa faz o que?


       Ele trabalha fora, estuda, cuida da casa, faz comida E cuida do bebê(!!)
       Aposto que quando você leu o que EU faço, não se surpreendeu, certo? mas agora que leu o que o Vini faz, deu dó né?. Pois é... agora me diz qual é a diferença entre as duas coisas? prioridade? só isso.

       Ele acorda de madrugada com o bebê com febre, faz janta quando necessário, arruma a casa quando preciso, troca fralda, canta, cuida e opina na educação dos filhos, assim como opino na renda familiar. A tal família moderna.
        Eu não saberia cuidar de um bebê sem ele, ele não saberia cuidar das finanças sem mim. Ele não merece os parabéns, não. Porque ele simplesmente faz o seu papel: O de pai.



     
PS: Foto1: Papai e Laurinha indo para o Ano novo no Domingo. 
PS: foto2: Papai e Laurinha indo para a Fraldada no Sábado.

Notícias da Laura

Os exames da Laura deu tudo Ok.
Almoçou hoje maçã e tomou um pouco de água (o calor aqui esta INSUPORTÁVEL)
Já esta melhor e ainda voltando ao que era antes. dormiu bastante também.
Bebendo água hoje a tarde de fraldão no calor (detalhe o bebê conforto sujíssimo de banana e maçã, hehehe)

Mas o que ela teve? 

Ontem a noite ela chorou muito (achei exagerado de início, mas achei que era sono... não era) a noite teve febrão beirando os 39 e não durmiu, vomitou MUITO (nem sabia que um bebê podia vomitar daquele jeito), é... aí começo a pensar até que ponto deixar na creche vale a pena. 


ô noite.

No colo do pai depois de ter tomado dramin na veia (tadinha), agora (parece) que esta tudo ótimo. Iremos buscar os exames... passamos a noite para dar notícias. =D
                      


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Hosha Shaná


Previews do fim de semana...





Veja: Lixo.

Em matéria maternagem as revistas ultimamente andam dando um baile em desinformação.
 Primeiro a Pais & Filhos falando que dar papinha industrializada para o bebê EM CASA é tão bom quanto a mãe se desgastar toda para fazer papinha para o filho (sabendo-se que só existe uma marca de papinhas no Brasil e que todos os participantes da reportagem ganharam um kit dessas papinhas conclui-se que...UI! será que é marketing??)
   Semana passada já me espantei com uma pesquisa que saiu com pouco espaço amostral (poucas crianças pesquisadas) e em um período curto de tempo, mostrando que deixar a criança chorar faz BEM para o sono dela! Agora vem a VEJA com uma reportagem no mínimo escrota afirmar esse conteúdo. (mesmo Harvard neste mesmo período tendo provado o oposto!) e o tal método nana nenê sendo divulgado como verdade absoluta (cruz!).

        
Vamos lá, Você esta chateado, se sentindo sozinho... aí você reclama porque quer um abraço, um ombro, mas de vez isso, você é IGNORADA. putz! legal né?
 Agora imagina que você tem meses de idade ou poucos anos e esta se sentindo sozinho e reclama e te ignoram, o que você vai pensar? que não adianta externalizar seus sentimentos porque ninguém liga para eles, que no futuro se precisar de apoio dos seus pais, não vai ter; que você PRECISA se fingir de forte, mas na verdade é completamente sozinho no mundo. 
  Agora pensemos o oposto:
        Que você chora e seus pais estão ali na hora para te ouvir, você não vai chorar o tempo inteiro...porque você SABE que eles vão estar ali na hora se realmente precisar. você não precisa "testar" para saber realmente se eles vão vir se sentir dor ou medo, porque você já sabe que vão vir, nunca falharam, não falharão quando você precisar. Você vai ser realmente mais seguro e mais feliz, porque você pode colocar para fora o que te fazia mal. certo? ou você não esta certo disso? 
          Então vamos a Laura,
          Laura dorme no berço a noite inteira doze horas por dia... acorda gargalhando ou conversando com um ursinho ou sozinha mesmo, tranquila me esperando acordar. Se eu demoro para acordar ela me chama bem claramente (esta com fome!) se não ela espera até eu aparecer lá e pega-la. 
          As poucas vezes que ela chorou no meio da noite ela estava com febre, e ALTA. (agora imagina se eu a ignorasse??) Ela realmente precisava de mim. 
          Ela chora para eu pega-la no colo para dormir e mama para dormir (ai PECCATO!), como já ouvi de canto de orelha falando "esta errado isso", Uiii... 
         Eu particularmente amo dormir abraçada com o maridão, se não durmo assim não durmo bem... mas para eu não ficar mal acostumada ele simplesmente não vai deixar? porque? porque a gente tem que se acostumar com o "RUIM" da vida? Pensamento pessimista esse viu (e desculpa extremamente minimalista).
            Ela gosta de dormir no peito, eu gosto de dar o peito para ela dormir e estamos felizes assim! Porque ela Não pode dormir no peito? alguém tem uma explicação plausível para isso? e não me venham com "se não ela não dorme com mais ninguém", por que se isso fosse verdade ela não dormiria na creche, certo? "ah, mas ela vai querer dormir no peito até a faculdade", rsrs, Querida, não precisa me incentivar mais ainda...
             Ela vai ser mimada! (UPA! conceito de mimada por favor, alguém?)

Veja, depois de "uns tapinhas faz bem" e agora com "deixar a criança chorar faz bem" ...estamos indo para a criação de crianças robôs e construindo uma sociedade mais doente e egoísta do que já é? será? espero que as aulas do colegial sobre "ler com crítica" estejam fazendo efeito na cabeça dessas mães leitoras de classe mérdia  média. 

 E lembrem-se instinto de mãe e amor demais devem prevalecer em qualquer criação, o resto é conversa...







domingo, 16 de setembro de 2012

Shana Tova!


Que este dia seja de reflexão para mudar (para melhor) a nossas atitudes, os nossos comportamentos e que tenhamos sempre muito mais aprendizados. 

Feliz Ano novo a todos!

Saúde, Felicidade e Paz. 

sábado, 15 de setembro de 2012

6 meses - Introdução Alimentar iniciada.

   Era 12:30, 15 de março. Laura saí de mim, perfeita, praticamente limpa, só com vérnix, respira e chora (ainda ouço seu primeiro choro quando fecho os olhos).

   Durante a gravidez pesquisei, aprimorei e tracei metas. Algumas já cumpridas (não usar chupetas por exemplo), mas uma das mais importantes finalizou-se hoje.
    O aleitamento exclusivo até os 6 meses, porque para mim é tão importante esse marco? o que realmente significa?
    Significa que respeitei o tempo dela de aprender a comer, significa que me respeitei como mãe, respeitei meus instintos e principalmente, respeitei a criação que eu quis para ela. Provei por a+b que ela é saudável, com desenvolvimento perfeito e feliz. Não tive um exemplo desse em casa, não, não tive (ninguém da família que eu saiba iniciou a alimentação aos 6 meses, sempre antes). Mas me mantive informada, acompanhei seu crescimento mês a mês e sonhava com esse dia, e este dia enfim chegou.

      Era um pouco mais de 12:30, 15 de setembro. Laura experimenta sua primeira bananinha, simples. Não para mim, que vê seu bebê caminhando para mais um passo da forma adulta, independente, o de comer, o de se alimentar.
     Primeiro foi o cordão umbilical rompido, agora o alimento exclusivo  e assim iremos caminhando...

     Tiramos várias fotos, vários momentos que serão divulgados na segunda/terça feira.

     Iniciamos a introdução como manda o figurino científico (e não o da vovó), dei de mamar e após, apresentamos a banana em sua forma (cortada) deixamos ela pegar, e descobrir que aquilo podia ir na boca... não contamos com o fato da banana ser escorregadia, hehehe. Mas ela entendeu o significado, depois amassamos ela no pratinho e eu o ofereci na colher, foi bananada para todo lado, para todo canto, com direito a esmagar com a mão e sentir texturas.
     Ela engoliu pouco (quase nada), mas sentiu o gosto, experimentou, serviu. O universo dos sabores acabou de começar e as caras e bocas dela foram impagáveis.
     Abaixo algumas das cenas do próximo post:


Fase 1, degustação pedaços:

Parte da fase 1:

Fase 2> banana amassada,

Fase 2: agora sim comendo, nham!

Fase 2: mamãe dando na colher.


Fase3: HAHAHAHAHA = lambendo os beiços e se concentrando no sabor.

             

Teremos mais em breve. Até lá,


 Bom final de semana,



       

6 meses s2

Previews de hoje:

Logo mais reportagem completa!


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Amo!


6 meses quase completos *-*



















  Hoje no AMS (aleitamento materno solidário) ganhei meu certificadinho de 6 meses de amamentação exclusiva! =D

    Esta certo, falta ainda 2 dias... mas vou completar certinho essa etapa!


Laura em AME exclusiva, conquista nossa! com muito leitinho e prazer!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Meu primeiro sorvete.

Lá vai a receita do sorvete que a Laura chupou hoje:

  Você vai precisar de:


  • 1 peito com leite
  • um pote próprio para picolé
  • um refrigerador/congelador
  • detergente

   Pegue o pote próprio para picolé e lave-o somente com detergente e água, deixe-o secar, pegue o peito cheio e encha o pote próprio para sorvete diretamente da fonte, deixe 2 horas no congelador...

O resultado será esse:


Aí, você pegue sua filha e ofereça a ela e o resultado será mais como uma brincadeira/mordedor do que propriamente como um sorvete, a principio...

Mostrando a ela do que se trata/ sentir textura:


 Apresentando o gosto conhecido, Mas, gelado.

Começar a deixar por conta dela, deixar se sujar, brincar, chupar...

E aí a diversão inicia: =D

Sensações diferentes:

Gelar a mão, deixar cair, pegar de novo...

 Tentar lidar com o peso, o derretimento...
 Estratégias para lamber sem congelar a mão...
 e brincar,
 brincar e
 brincar,

Até o sorvete cair no chão. ;)